Sexta, 22 de novembro de 2019
63 9-99741776
Geral

10/10/2019 ás 07h11

92

A Melhor Cobertura em Notícia

Taguatinga / TO

Motorista é condenado a 11 anos de prisão por dirigir embriagado e causar acidente que matou três pessoas
Julgamento de Ronaldo da Silva foi nesta quarta-feira (9) em Palmas. Batida na TO-050 matou casal e um dos filhos dele em 2015.
Motorista é condenado a 11 anos de prisão por dirigir embriagado e causar acidente que matou três pessoas
Foto: Divulgação/EPV

Foi condenado a 11 anos e três meses de prisão em regime inicialmente fechado o motorista Ronaldo da Silva, acusado de provocar o acidente que matou três pessoas da mesma família em 2015, na TO-050, em Palmas. A Justiça entendeu que ele estava embriagado no momento da batida e que por isso assumiu o risco de matar. Ele vai poder recorrer em liberdade.


A caminhonete que Silva dirigia atravessou o canteiro central da TO-050 e atingiu o carro em que estavam o casal e os dois filhos. Apenas uma das crianças sobreviveu. Durante o depoimento, Ronaldo chegou a chorar e admitiu ter bebido na noite do acidente, mas disse que quando começou a dirigir já estava lúcido. Ele afirmou ter perdido o controle da direção porque a pista estava escorregadia.


O acidente aconteceu em março de 2015. O casal Ana Carolina Noda Estevam, de 28 anos, e Bruno Sousa Estevam Santos, também de 28, morreu no local. O filho mais velho deles, Enzo Massahari Noda, de nove anos, chegou a ser internado, mas não resistiu e morreu no Hospital Geral de Palmas.


O julgamento começou durante a manhã e cinco pessoas foram ouvidas, além do próprio acusado. Uma das testemunhas foi um policial militar que atendeu a ocorrência.


O PM voltou a dizer que o motorista apresentava sinais de embriaguez no momento do acidente. Parentes das vítimas e do acusado também foram ouvidos no tribunal.


"O caso de hoje tem uma peculiaridade porque a denúncia foi sustentada pelo dolo eventual, ele não tinha a intenção direta, mas ao beber e imprimir uma velocidade acima do permitido assumiu o risco de acontecer. Então, nós vamos sustentar nesse caso o dolo eventual", disse o promotor Breno Simonassi.


A defesa de Ronaldo Silva foi procurada pela TV Anhanguera, mas não quis gravar entrevista.





 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


                                                                                                           Informações G1/TO



O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados